14 de julho de 2010

Crescer

Não que eu seja um pré-adolescente cheio de medos e inseguranças, não. Sou um jovem determinado e autoconfiante (aham). Mesmo sendo um jovem determinado e autoconfiante (aham) eu ainda me sinto despreparado para algumas responsabilidades que a maioridade traz. Não saber o nome de todos os parentes e nem cumprimentá-los respeitosamente todas as vezes, dormir até mais tarde (e à tarde), não cortar o cabelo quando não estivesse afim e não ter que dar satisfações da sua vida pessoal a alguém que controla o seu pagamento são coisas que eu estimo muito e perdi. Quando eu digo muito eu quero dizer muito mesmo. Não bastasse essas coisas, ainda há situações que me deixam de calça curta. Não é lá muito confortável visitar aquela sua colega de escola por quem você teve uma crush e encontrá-la com um bebê nos braços, nem que aquele seu parceiro de truco virou um servente(?), nem tampouco ter que lidar com um doente em casa que não é necessariamente minha obrigação (leia-se: poderia ir pra casa dos filhos dele).
Você que acha que ter treze anos é o fim do mundo, morra.
HAHAHAHAHAHAHA
Update: a parte em que falo do meu tio refere-se ao fato de não poder ajudá-lo com aquilo que, de fato, precisa ser feito para que ele recupere-se. Eu o amo muito e espero que agora, indo para um grande centro, possa encontrar profissionais da saúde que o auxiliem em sua recuperação. Torço muito pela sua melhora e fico indignado por seus filhos, muitas vezes, serem apáticos em relação a isso. Desabafei, ufa. O post tinha o objetivo de falar das responsabilidades que surgiram, não passar a falsa impressão de que sou egoísta e prepotente. Obrigado.

5 comentários:

  1. Ah, são coisas da idade. Todo mundo sente.
    Toda criança quer ser pré-adolescente, e o pré-adolescente já se acha o adolescente que já chora pela maioridade.
    Não é o meu caso, rs, queria muito que esses próximos seis meses não passassem nunca mais, rs. Tenho medo das responsabilidades e das coisas que, consequentemente, vou deixar.
    Mas... acontece. É tipo um ciclo. Tem seus furos, mas são poucos.

    HAHAHAHA
    TRUCO! UM PAU E MEIO!
    Bom, meus véios amigos... Todos com seus 24, 26 anos... Ahhh, meus bêbados estudiosos, responsáveis e jogadores de truco, rs.
    Viu? Mais um furo!

    Gostei daqui!

    ResponderExcluir
  2. eu tenho 15, e não acho que é o fim do mundo, ter que pagar suas próprias contas e cuidar de um doente deve ser pior, obrigada por me lembrar.

    HAHAHA eu ri com a tirinha

    ResponderExcluir
  3. Exatamente Pedro!
    To sentindo todas essas coisas de uns tempos pra cá...
    Maioridade, faculdade, trabalho.

    Sinto falta da epoca que eu pensanva que a nota baixa que eu tirei em biologia ou o menino que eu era afim não me queria, eram o fim do mundo.
    Ledo engano.

    Beijo querido.

    ResponderExcluir
  4. Insegurança é normal...acho que a gente passa por isso a vida inteira :/

    ResponderExcluir
  5. Tinha me passado a (falsa) impressão de ser egoísta e prepotente. Ainda bem q colocou uma nota em baixo do post! =p

    ResponderExcluir

E você, o que me diz?

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails